fbpx

A literatura como porta-voz da condição humana

com Matheus Arcaro

A literatura supera a filosofia?

Investimento

R$ 165,00

R$130,00

(promocional)

Conteúdo da Palestra

Albert Camus escreveu certa vez: “Se queres ser filósofo, escreva romances”. Durante muitos séculos, a filosofia e, posteriormente, a ciência, almejaram alcançar a Verdade. Todavia, no século XX, percebeu-se que a verdade objetiva e universal talvez nem exista. Noções como ‘razão’ e ‘progresso’ desmoronavam. Eis que emerge a literatura como possibilidade de porta-voz da condição humana, justamente porque não se pretende verdadeira. A literatura, diferentemente da ciência e da filosofia, sabe-se ficcional.

Uma citação do escritor Ernesto Sabato sintetiza essa percepção: “Os seres de carne e osso não podem representar as angústias metafísicas sob o estado de ideias puras: fazem-no sempre encarnando essas ideias (…). Os seres carnais se movem em impulsos imprevisíveis, mesmo para o próprio escritor que serve de intermediário entre esse estranho mundo da ficção, irreal mas verdadeiro, e o leitor, que acompanha seus dramas”

Data da Palestra: 28/10, às 19h

Duração: 60 minutos

Matheus Arcaro é Mestre em Filosofia contemporânea pela Unicamp. Pós-graduado em História da Arte. Graduado em Filosofia e também em Comunicação Social. É professor, artista plástico, palestrante e escritor, autor do romance O lado imóvel do tempo (Editora Patuá, 2016), dos livros de contos Violeta velha e outras flores (Editora Patuá, 2014) e Amortalha (Editora Patuá, 2017) e do livro de poesias Um clitóris encostado na eternidade (Editora Patuá, 2019).Também colabora com artigos para vários portais e revistas.